Sunday, October 19, 2008

Image Hosted by ImageShack.us
Não seremos todos potenciais assassinos?
-
Sem pensar no assunto a resposta é não. Pensando no assunto o não pode dar lugar ao sim. O nosso cérebro é um labirinto que andamos a tentar compreender, sem grande sucesso até à data. Dentro dele encontram-se milhares de portas que não sabemos aonde nos levam.
-
No outro dia, estava deitada no meu sofá (sozinha, infelizmente) a assistir a uma série da SIC, "Mentes Criminosas", uma série onde a equipa tenta chegar até aos criminosos fazendo um perfil do seu modo de actuar, do seu comportamento, tentando obter dados suficientes que os levem até estes.
O estudo do comportamento humano é de extrema importância para a resolução dos casos.
-
Dito isto, e ligando a série à questão de se seremos todos potencias assassinos, nesse episódio um jovem dito normal, com uma profissão interessante, criava personagens de Banda Desenhada, é confrontado com um situação nada normal.
Numa noite ao sair de casa com a namorada, e após a ter pedido em casamento é assaltado, viu a namorada ser atacada, massacrada e morta à sua frente. Salvou-se por milagre.
-
O seu cérebro apagou esta cena da sua realidade presente. Pensando que a namorada ainda está viva e chateada com ele, liga-lhe vezes sem conta. No labirinto do seu cérebro, a mensagem que recebe é de que ela está bem, apenas chateada com ele. No entanto, algures nesse labirinto, o seu inconsciente manifestava-se sem ele dar conta. Durante a noite, desenha sem parar. Entretanto, membros de um gang começam a morrer. Quando é apanhado pela equipa da "Mentes Criminosas", não entende o motivo. Mostram-lhe os desenhos feitos por ele e as fotos das cenas dos crimes, são idênticos. Todos os desenhos são idênticos às fotos das cenas dos crimes.
-
Quando lhe falam da morte da namorada nega o facto. Ela está viva, ele sabe que ela está viva. Aos poucos, o seu cérebro decide começar a enviar-lhe imagens da verdadeira realidade. Durante várias noites ele tinha morto todos aqueles que tinham assassinado a namorada. Ele não acredita.
-
Algo fez um curto-circuito no seu cérebro, esse algo foi quando viu a namorada que amava ser morta à sua frente sem poder fazer nada.
-
O mais assustador para mim, é que isto não é apenas ficção. Existem inúmeros casos de pessoas que sofreram traumas deste calibre e que perderam o contacto com a realidade, tendo determinadas atitudes que não teriam, estando no seu estado normal.
-
Vou ainda mais longe, a dor de mãos dadas com a injustiça por vezes é tão insuportável, que mesmo conscientes das nossas acções por vezes o fazer justiça a qualquer custo pode acontecer à pessoa mais decente ao cimo do planeta.
-
Basta dar o exemplo de um pai ou de uma mãe que foram forçados a ver um indivíduo a retirar a vida a um filho seu, e mais tarde, ver esse mesmo ser sair em liberdade por qualquer minúcia.
-
Seremos ou não todos potenciais assassinos se colocados em determinadas situações?
-
Eu não meto a minha mão no fogo pelo não!
-
Mas isto sou só eu
-
Nota: A autora não é de forma alguma apologista da justiça pelas próprias mãos. Que fique claro para aqueles que não entenderam o texto.

44 Comments:

At 4:54 PM, Blogger caditonuno said...

muito rapidamente e após ter lido o teu post por alto, é só pra dizer que nós temos um gene que pode despoletar comportamentos violentos. só que esse gene muitas vezes nao se revela.

também pode revelar-se em situações das quais nao estamos à espera e tornarmo-nos violadores, assassinos, pedófilos, etc.

eu se fosse assassino seria profissional. ah, ah, ah!

tendenias suicidas nao tenho. agora matar uns quantos seres ou atirar aos pneus ou assim até era capaz!

tipo um rambo silencioso.

 
At 5:10 PM, Blogger Lola said...

AlienDS,

Acho que é um tema susceptível de muita controvérsia.

A maior parte de nós não reagiria assim.

Só uma percentagem pequena é que vai levar a violência, muitas vezes potenciada, a responder a outra violência.

A questão é se essas pessoas não chegariam lá, independentemente daquilo que aparentemente os motivou.

Outra coisa é a raiva e a vontade de fazer justiça por nossas mãos em casos de violação, pedofilia etc.

Mas ficamos pela raiva. Deprimidos e sem perceber.

Os que passam a outro tipo de reacções já estão, à partida, perturbados.

Penso que a maior parte de nós não tem vocação para assassino.

Na guerra, em que se assassina impunemente, grande parte dos soldados fica marcado e a necessitar de apoio psicológico para toda a vida.

è uma questão difícil.


Beijos grandes

 
At 5:24 PM, Blogger Vício said...

é claro que sim!
e mais não digo... porque há certas situações que as próprias mãos me dizem que eram capaz de fazer algo!

 
At 6:44 PM, Blogger pikenatonta said...

Sem dúvida que o estudo do comportamento humano é muito importante. Vi este episódio que referes e também deu-me muito que pensar... É assustador...

**

 
At 6:47 PM, Blogger afectado said...

Eu acho que todos podemos ser assassinos...

Quem não pensaria em matar um filho da puta que abusasse de um filho(a) seu? Isto e tantas outras situações passíveis de despertar em nós os comportamentos mais violentos...

Quanto à série, não tenho visto e acho que me vou arrepender. Deve ser muito fixe...

 
At 12:20 AM, Blogger korrosiva said...

Nem que seja pelo instinto de sobrevivência somos todos capazes de matar! O homem é um animal como tal, em circunstancias extremas pode ter atitudes que no dia-a-dia seriam impensáveis..

e se me pagassem bem, limpava o sebo a uns quantos!! eheheh

beijinhos ;)

 
At 4:41 AM, Blogger Alien David Sousa said...

caditonuno

"é só pra dizer que nós temos um gene que pode despoletar comportamentos violentos. só que esse gene muitas vezes nao se revela."

Eu acredito que sim, que está controlado e que quando estamos perante determinadas situações poderemos perder o controlo sobre o " bichinho" que nos mantém na ordem.

"ou atirar aos pneus ou assim até era capaz!"

lol

Gostei dessa!

Kisses



LoLa

"Os que passam a outro tipo de reacções já estão, à partida, perturbados. "

Mas tu ou eu podemos ficar perturbadas quando colocadas perante uma determinada situação. O que eu quero dizer é que nós não temos controlo sobre o nosso cérebro como muitas vezes pensamos que temos. Ele pode-nos pregar partidas e até a pessoa mais decente do mundo pode ser um potencial assassino quando esse mesmo cérebro lhe prega uma rasteira. Seja essa devido a uma dor gigantesca ou por outro motivo qualquer.

E sim, é uma questão difícil!!

kisses




VICIO

E não precisas de dizer mais ;)

Beijinhos viciante vicio




pikenatonta

O episódio deu que pensar. Acho que muitos de nós , acho eu, somos capazes de nos rever naquele personagem, isto é; uma pessoa normal, com uma vida normal,que colocada perante uma situação anormal perde o controlo sobre o circuito do seu cérebro. Sobre a realidade e acaba sem saber como por se transformar num vingador, num assassino. É assustador de certa forma,pelo menos eu fiquei a pensar no assunto, daí este texto, com este tema.

**


Afectado

"tantas outras situações passíveis de despertar em nós os comportamentos mais violentos..."

É mesmo essa a questão que eu levantei no texto. Por mais decentes que sejamos, colocados em determinados ambientes qual seria a nossa atitude? E há determinadas situações que nos escapam, como o labirinto que é o nosso cérebro.

Acho que irias gostar da série. Dá tarde, todos as noites na SIC.




korrosiva

"Nem que seja pelo instinto de sobrevivência somos todos capazes de matar!"

Está aí algo que não mencionei mas que acho ser óbvio, pelo menos para mim, nisto concordo contigo 100%.

"em circunstancias extremas pode ter atitudes que no dia-a-dia seriam impensáveis.."

Também estamos de acordo. E vou mais longe, por vezes pode perder momentaneamente a sua lucidez, ou mesmo perder o controlo sobre as rédeas da sua vida não conseguindo controlar as suas acções.

"e se me pagassem bem, limpava o sebo a uns quantos!! eheheh"

Cuidado contigo! LOL

Beijinhos :)

 
At 3:06 PM, Blogger Grão Vizir said...

É obvio que sim, aliás, há dias fiquei sem amendoins em casa e já estava prestes a atirar me da janela portanto é possível( e matar um pombo durante a aterragem e tal)...

Sejamos sérios, muitos dos crimes que certas pessoas produzem muitas vezes anos antes são coisas que nos são impensáveis de produzir, mas por vezes certas situações por que passamos na vida que nos fazem refletir em atitudes mais extremistas, muitas vezes derivado à pobreza que certas pessoas passam...

 
At 3:08 PM, Blogger Grão Vizir said...

Voltando à palhaçada, em relação ao pombo, bem que tu sabes o meu odio de estimação a esse bicho, bicho esse que só está bem é na canja ehehehe

bj

 
At 4:26 PM, Blogger tulipa_negra said...

acho que sim!
a mente humana é muito complicada... e não pdoemos dizer com toda a certeza do mundo "desta água não beberei"

também gosto muito de ver essa série :-)

bjs

 
At 7:21 PM, Blogger Canephora said...

A mente é um labirinto, mas também uma esponja.
Não é por nada que se uma criança for exposta a um determinado ambiente, ela vai crescer acreditando que esse ambiente é o valido para todas as suas reacções, ou seja, se for criado num local em que o crime e o roubo é comum e se lhe for permitido sobreviver apenas se o fizer também, é isso que o seu cérbero lhe irá indicar... mas a realidade é que se se agarrar num desses chamados delinquantes e os exposermos a um ambiente mais moral. Ele adapta-se...
se somos potênciais assassinos?
dependo com o que alimentamos o nosso cérbero.

 
At 8:06 PM, Blogger Senhora das Águas said...

A justiça por maos proprias entende o nao confiar na justiça "legal" para fazer se pagar pela má/indevida/ilegal acção vivida, mas é acima de tudo um desespero de causa. Acho que qqr pessoa é um potencial assassino, até porque pela multiplicidade de vivencias , apenas vivemos uma infima parte, nao podemos dizer nunca ao "nunca". Em certos casos, certos casos sao em certas e delineadas situaçoes, sou apologista da justiça pelas minhas. Não falo de casos de "pura birra" ou de meras zangas. Falo de casos dolorosamente sérios e nesses, haja justiça, venha ela de onde vier... Não temo parecer radical. Há que haver radicalismo quando é necessário, mas apenas quando é mesmo necessário.
Alien, abraço.

 
At 8:06 PM, Blogger Senhora das Águas said...

Leia-se pelas minhas mãos/proprias maos.

 
At 11:09 PM, Blogger Alien David Sousa said...

Grão Vizir

"há dias fiquei sem amendoins em casa e já estava prestes a atirar me da janela portanto é possível"

lol

A mim aconteceu-me o mesmo quando fiquei sem Coca-cola

"muitas vezes derivado à pobreza que certas pessoas passam..."

Sim, nem só os TRAUMAS levam as pessoas a terem atitudes extremas, a pobreza é sem dúvida um factor a ter em conta aqui.

" bicho esse que só está bem é na canja ehehehe"

Quando estiveres doente levo-te uma canja e depois veremos se a comes lol

beijos




TuLipinha

Pois, eu também penso assim. Mesmo retirando o ser humano de ambientes que o possam levar a cometer acções condenáveis, continuo a acreditar que a nossa mente é muito complicada e que por vezes se dá um curto-circuito no nosso cérebro que nos leva a agir de uma forma que nos é completamente atípica. É assustador.

É pena as séries de qualidade, quer as da TVI, quer as da SIC darem tão tarde :/

Beijinhos




Canephora

"se uma criança for exposta a um determinado ambiente, ela vai crescer acreditando que esse ambiente é o valido para todas as suas reacções, ou seja, se for criado num local em que o crime e o roubo é comum e se lhe for permitido sobreviver apenas se o fizer "

Claro que sim. O ambiente conta e muito. Molda a personalidade e distorce a visão do que é o certo e o errado.

No entanto existem outras situações em que nos podemos tornar potenciais assassinos e em que o ambiente não tem uma palavra a dizer. Podemos até ter crescido no melhor dos ambientes.

O nosso cérebro é um bicho muito complexo. E deve ser assustador pensar que nunca fariamos algo e um dia darmos por nós a fazer essa mesma coisa.

kisses




Senhora das Águas

" Falo de casos dolorosamente sérios e nesses, haja justiça, venha ela de onde vier... Não temo parecer radical. "


Entendo o que dizes. Um dia tive uma conversa com um amigo sobre esse tema. A questão era, se eu estivesse armada e o assassino da minha mãe entrasse no café aonde estavamos, seria eu capaz de lhe tirar a vida? Eu respondi que sim! Ele argumentava que ninguém tem o direito de tirar a vida a outro ser humano e na teoria eu concordo com ele, no entanto, enquanto falavamos eu pensava na minha mãe e pensava na dor, só o pensar era insuportável. E depois disse-lhe, é muito bonito nós falarmos na teoria, mas quando as situações são reais e são tão penosas como o nosso exemplo, nós não vamos agir com a cabeça mas com o coração... com emoção...e foi por isso que respondi SIM. Não acredito que com uma arma na mão eu fosse capaz de me controlar.

Mas sabes, temo muito mais, situações como a que descrevi no texto. O passar por um trauma e não dar conta das minhas acções por o meu cérebro não deixar. É mais assustador para mim.

Beijinhos

 
At 4:28 AM, Blogger Alien8 said...

Nem eu, mana, nem eu... a ocasião faz o ladrão. A raiva cega. E há mesmo quem esteja a pedi-las :)

Beijinho.

 
At 7:29 PM, Blogger aquelabruxa said...

sim, e gene suícida também...

 
At 9:52 PM, Blogger Senhora das Águas said...

" Falo de casos dolorosamente sérios e nesses, haja justiça, venha ela de onde vier... Não temo parecer radical. "

Agora só depende o que para um e na experiencia de cada um será um caso dolorosamente sério... :)

 
At 9:54 PM, Blogger Senhora das Águas said...

Olha lembrei-me agora de um caso básico de justiça pelas proprias maos - Jigsaw, personagem dos SAW... lembrei me apenas, nao defendo a teoria da personagem, mas lembrei-me...

 
At 10:30 PM, Blogger Casemiro dos Plásticos said...

De facto qualquer um de nós pode ser um assasino, depende de inumeros factores que nos levem a isso... é um tema complexo e devo-te dizer que já me passou pela cabeça matar uma pessoa mas depois caguei-me para o assunto lol
beijo

 
At 10:47 PM, Blogger Alien David Sousa said...

Alien8

Ah pois é maninho! ;)A mente do ser humano é muito complicada.

Beijinhos alienígenas




Aquelabruxinha

Concordo 100%!

Beijinhos



Senhora das Águas

Vi os filmes todos. O SAW I é brilhante, o SAW II não gostei, adorei o SAW III e quanto ao SAW IV fiquei mesmo muito desiludida.

No entanto o conceito é brilhante. O Jigsaw é um personagem perturbado, é óbvio. Ele escolhe pessoas que acha não estarem a viver as suas vidas ao máximo, ou como deveriam estar a viver, e mostra-lhes o quanto afinal eles desejam viver.

Claro que para mim,isto não é motivo para se fazer justiça pelas próprias mãos.

"depende o que para um e na experiencia de cada um será um caso dolorosamente sério"

Para mim justiça pelas próprias mãos implica algo de muito doloroso que nos faz perder a razão.
No caso do personagem do Saw, acho que este se vê como um professor/justiceiro que estando a morrer quer fazer ver a outros o quanto a vida é importante. O final do SAW I é brilhante, quando ele explica que as pessoas que andam a desperdiçar as suas vidas não merecem viver. Este é o conceito do SAW.
Se é justiça pelas próprias mãos? Para ele é. Agora, mereciam MESMO aquelas pessoas morrer? Não! Ninguém tem o direito de julgar outro pelo modo como vive a sua vida.

O exemplo que deste é muito bom porque apesar de ser ficção é outro caso de como o nosso cérebro nos pode transformar em monstros. É um exemplo daquilo em que nos podemos transformar se o nosso cérebro adoecer.

Beijinhos



CASE

Acho que todos nós já tivemos vontade de apertar o pescoço a alguém lol O pior é quando se dá um curto circuito no nosso cérebro por um qualquer motivo e o fazemos mesmo. Ou quando o fazemos inconscientemente.
Beijinhos

 
At 11:48 PM, Blogger Diabba said...

Pois olha, a minha primeira reacção é SIM, somos todos potenciais assassinos.
E nem sequer falo do assassinato por vingança, basta pensar na situação limite da legitima defesa, matar ou morrer, qual escolhes? Matas e mais nada!
E sim, tb mataria por vingança!

Mas isto sou que que quero é sangue... sangue!! (em vampira mode)

Enxofre

Nota: Sofá, série da sic? pfff já não se fazem extraterrestras como antigamente, daqui a nada ainda confessas que trocas fluidos como os terrestres... hihihihihi

 
At 3:07 AM, Blogger Gata Verde said...

Se visse alguém matar uma pessoa que amo, garanto que faria algo!!

beijos

 
At 8:42 PM, Blogger 1/2Kg de Broa said...

Eu seria assassino a part-time.

Não digo que não :D

 
At 4:11 AM, Blogger Carla said...

Alien,

Confesso ser uma apaixonada da série "Mentes Criminosas". Recordo-me deste episódio, de forma bem clara, não apenas pela história em si, mas por ser um tema sobre o qual já me dei a pemsar inúmeras vezes. À partida todos diremos que não somos capazes de matar, de tirar a vida a uma pessoa, ou pelo menos a mior parte o dirá. Não obstante, em situações limite, de profunda revolta, desiquilibrio psiquico, entre outros, o instinto "assassino" está lá, pronto a despoletar. Esta questão, que aqui trazes é uma questão vital, que faz pensar nos aspectos mais recônditos da alma humana. Lugares que mantêm aprisionados instintos que em momentos em que a razão não está apta a sobrepôr-se ao sentimento, leva a agir de forma contrária à dita humana. O isntinto "assassino" está, também ele, relacionado com aquilo a que chamamos instinto de sobrevivência...

 
At 4:13 AM, Blogger Carla said...

algumas palavras aparecem mal escritas... por isso onde se lê pemsar deve ler-se: pensar; onde se isntinto deve ler-se instinto; mior = maior... Se mais existirem... perdoem-me...

 
At 7:43 PM, Blogger Minerva McGonagall said...

Isso é coisa que só se fica a saber na altura.

 
At 7:05 AM, Blogger silvio said...

todo o ser humano, tem tendências violentas.
mas a maioria de nós controla-as, para viver em sociedade.

os ladrões, criminosos, que assaltam e matam sem piedade, não controlam o instinto assassino.

quanto ao resto, pessoas normais, simples, não-violentas, mantêm esse instinto animal "sossegado".

mas se todos nós, alguma vez na vida, estivermos em perigo, tenho certeza absoluta que recorremos à viol~encia para nos defendermos.
o ser humano tem instinto de sobrevivência.

se estivermos em perigo de vida, temos sempre tendência a reagir.

e se estivermos envolvidos numa briga corpo a corpo, a adrenalina que corre nas nossas veias poderá fazer que nos descontrolemos, e nem consigamos parar de lutar :)
uma pessoa sob stress, ou perigo, ou acto violento, tem tendência a não conseguir controlar-se, e nem reparar no que está á volta..
quem se aproximar em redor , leva pancada também :)


reparem que existem ainda, certos hábitos culturas que despoletam a violência.
após jogos de futebol, é comum ver claques á porrada.

política e religião também levam pessoas a discutir e agredir-se, diversas vezes

 
At 7:06 AM, Blogger silvio said...

conversa fiada à parte,

:-)
ninguém pode negar...

violência, utilizamos sempre alguma vez na vida.

se vos derem um estalo na cara, ou um pontapé,
vocês reagem?
ou fazem como jesus cristo que dizia para "dar a outra face" :-)
?

aposto que reagem

 
At 4:05 PM, Blogger White_Fox said...

Hello! Estive a ler o teu post com atenção e tenho a dizer-te k tb gosto mt dessa série.
E concordo ctg, nós não podemos dizer "nunca" se ainda não passámos por essas situações. E lá está, o rapaz fazia isso de forma inconsciente. Por isso há que diferenciar aquilo que podemos fazer de forma consciente e aquilo que podemos fazer de forma inconsciente. Já freud falava nisso...
bjs

 
At 4:18 PM, Blogger Nomyia said...

E não só. Se estivermos perante uma situação em que somos colocados perante o maior dilema que pode existir: matar para sobreviver ou morrer para salvar alguém. E esta hein? Acho que não podemos dizer com toda a certeza o que fariamos.
Sou contra a pena de morte, tortura e todo o tipo de abusos desse calibre ao ser humano. Contudo, isso nunca me tocou de perto. Se me matassem ou magoasse algum familiar, sei lá eu como agiria.
Nada, nada fácil.
*****

 
At 11:50 PM, Blogger Alien David Sousa said...

Diabba

"Pois olha, a minha primeira reacção é SIM, somos todos potenciais assassinos."

De ti não esperava outra coisa minha adorada/odiada venenosa ;) Como muito bem disseste, tu queres é ver sangue lol


"já não se fazem extraterrestras como antigamente, daqui a nada ainda confessas que trocas fluidos como os terrestres... hihihihihi"

YUK!Claro que não! Eu apenas troco fluidos com seres da minha espécie. Os terrestres são muito básicos, têm muito a aprender e eu não tenho paciência para ensinar. lol

Beijinhos diabinha cor de labareda




Gata Verde

Pois, eu também penso como tu.

Beijinhos




1/2Kg de Broa

LOL

Estou a ver!

kisses




Carla

"Lugares que mantêm aprisionados instintos que em momentos em que a razão não está apta a sobrepôr-se ao sentimento, leva a agir de forma contrária à dita humana.


O engraçado não será que esses instintos talvez façam realmente parte da condição humana e que em vez de se encontrarem aprisionados, estão apenas numa sala do nosso cérebro à espera que uma porta se abra. E quando esta se abre, não quer dizer que estejamos a agir de forma contrária à de um ser humano, mas sim a agir da forma que o nosso cérebro nos dita.


"O isntinto "assassino" está, também ele, relacionado com aquilo a que chamamos instinto de sobrevivência..."

Sim, claro. Quando a nossa vida está em perigo tudo vale. E volto a frizar, não será numa dessas salas onde se abre uma porta e o nosso cérebro nos envia sinais que nos diz que corremos perigo e que temos carta branca para fazer o que temos a fazer, para nos salvarmos, onde reside o mistério?



Minerva

Para uns pode ser que sim. Eu sei que para sobreviver o fazia, assim como sei que o faria em outras situações extremas.Mas todos somos diferentes.

kisses





SILVIO

"todo o ser humano, tem tendências violentas.
mas a maioria de nós controla-as, para viver em sociedade."

O problema brother é quando o nosso cérebro nos prega partidas, como aquela que descrevi no texto. Quando deixamos de conseguir controlar a nossa vida.

Mas, concordo contigo quando dizes que todos nós temos dentro de nós instintos assassinos, e que os controlamos,é verdade. Como é verdade que alguns decidem não os controlar e viver uma vida de replecta de crimes e violência.

"o ser humano tem instinto de sobrevivência.

se estivermos em perigo de vida, temos sempre tendência a reagir."

Sim, se tivermos de escolher entra a nossa vida e a de quem nos quer matar, vamos escolher a primeira opção, mesmo que isso implique matar o nosso agressor.


"reparem que existem ainda, certos hábitos culturas que despoletam a violência.
após jogos de futebol, é comum ver claques á porrada.

política e religião também levam pessoas a discutir e agredir-se, diversas vezes"


É estupido,mas é verdade. Há pessoas que matam por causa de jogos de futebol. É completamente estúpido, mas acontece, por isso mesmo, se acontece por razões tão parvas como poderemos dizer que não aconteceria se estivessemos perante uma situação aonde um pai é confrontado com o assassino do seu filho.

Beijinhos S.



FOXY

" Por isso há que diferenciar aquilo que podemos fazer de forma consciente e aquilo que podemos fazer de forma inconsciente."


Sim foxy,o rapaz da série fazia-o inconscientemente,NO ENTANTO, eu também escrevi que acredito que perante situações EXTREMAS conscientemente o ser humano é capaz de ser um potencial assassino. Dei o exemplo de um pai ou de uma mãe que dão de caras com o assassino do seu filho, como poderia ter dado outro.Já aqui foi mencionado o instinto de sobrevivência.Se estiveres numa situação aonde tens de matar para sobreviver. São situações aonde estás consciente do que estás a fazer e eu acredito que perante estas a maioria de nós iria em frente.

beijinhos FOXY (mulder)





Nomyia

"Sou contra a pena de morte, tortura e todo o tipo de abusos desse calibre ao ser humano. Contudo, isso nunca me tocou de perto. Se me matassem ou magoasse algum familiar, sei lá eu como agiria."

Eu também sou contra a pena de morte e a tortura, no entanto, quando paro para pensar e dou por mim a tentar visualizar uma cena aonde se encontra um familiar meu morto e eu perante o seu assassino, mentiria se dissesse que eu não me transformaria numa assassina, que eu não sou uma potêncial assassina. Assim como o expemplo que já foi aqui mencionado várias vezes, o de ter de matar para sobrevier. Se a minha vida se encontrar em risco e se para sobreviver eu tiver de matar, não o farei? Claro que sim!
Enfim, é complicado, sim!

*****

 
At 6:10 PM, Blogger pedropina said...

k gostava de à noite trocar de personalidade, gostava! mas de facto ktos de nós em certos momentos nao se sentiu capaz de matar?
existem momentos k nao podemos explicar...

 
At 1:20 AM, Blogger Su said...

somos todos potenciais.....qq coisa.........nem q seja com um silenciador.......:)


jocas maradas ...sempre

 
At 11:38 AM, Blogger silvio said...

queria acrescentar que :

Hoje em dia, milhares de portugueses conseguem controlar tendências violentas, porque estão sedados com calmantes :)

estatísticamente, o consumo de anti-depressivos, xanax, etc, quase TRIPLICOU no País..

graças à depressão dos portugueses, a crise económica, etc.

 
At 11:26 PM, Blogger Alien David Sousa said...

pedropina

Pois, essa é que é essa P.P. Acho que a maioria de nós seria capaz.

Beijinhos




SU

".........nem q seja com um silenciador.......:)"

LOL

Doidinha!!!

Beijinhos



Sivio

"Hoje em dia, milhares de portugueses conseguem controlar tendências violentas, porque estão sedados com calmantes "

Tens razão brother, no passado muitas dessas pessoas poderiam andar por aí completamente descontroladas, hoje em dia graças aos calmantes conseguem ter uma vida dita normal.

Kisses

 
At 12:33 AM, Blogger Clara Branco said...

olá Alien, acho que todos temos um potencial homicida dentro de nós, mas... o medo de represálias e de sanções por parte da sociedade leva-nos a reflectir nos nossos actos. É claro que mediante as condições ideais para a ocorrência de tal, isto é, condições onde a sobrevivência é posta em causa, é mais que provável. Quantas vezes não desejamos atirarmo-nos ao pescoço de alguém? Existem também algumas predisposições genéticas para tal, ou seja, indivíduos com 2 ou mais cromossomas YY ( cariotipo XYY), apresentam uma predisposição genética para a violência, estatura elevada, falhas de aprendizagem e/ou linguagem, apesar de os niveis de testosterona serem normais). Mas mesmo assim, não será uma estigmatização rotular estes homens XYY? O meio condiciona em muito a nossa personalidade, e no fundo somos o resultado de um conjunto de muitos e muitos factores.
Matar alguém? Acho que o mais difícil é dar a nossa vida por alguém!
Um beijo ;******

 
At 1:26 AM, Blogger silvio said...

nem sempre.

pois calmantes são drogas e causam dependência.
e se as pessoas deixam de tomar, podem engordar bastante.

e há calmantes como o "xanax" que ja se provou que podem ter sérios efeitos secundários, dar origem a problemas cardíacos etc
:)

e as pessoas andam ensonadas, tipo zombie, aquilo faz as pessoas calmas porque elas ficam muito sonolentas :)
parece morfina,
eheheh

 
At 7:56 PM, Blogger vsuzano said...

em verdade em verdade te digo, que a ocasião faz com que nós possamos fazer coisas que depois nos podemos arrepender....... e mais nada....


bom fim de semana

 
At 4:41 AM, Anonymous hidden_romeo said...

Alien??
Onde andas? Nao vi a tua nave passar.... :)

 
At 7:04 AM, Blogger Alien David Sousa said...

Clara Branco

"o medo de represálias e de sanções por parte da sociedade leva-nos a reflectir nos nossos actos."

Não podia estar mais de acordo. O medo de passarmos o resto da nossa vida numa prisão pode muito bem ser aquele travão para não apertarmos o percoço daquela determinada pessoa.


"Existem também algumas predisposições genéticas para tal"

Mencionaste aqui, algo que ainda não tinha sido abordado Clara, mas que é muito real. E também deveras assustador, pensar que podemos nascer, ou ter um filho com essa predisposição.


"O meio condiciona em muito a nossa personalidade, e no fundo somos o resultado de um conjunto de muitos e muitos factores."

Sim,o meio condiciona...se crescemos no meio de violência, se sempre vivemos rodeados por ela e se aquilo para nós sempre foi a NORMALIDADE, é muito provável que o nosso caminho seja o da violência. E também concordo que existam muitos factores a ter em conta...mas por outro lado também acredito que por vezes podemos ser potenciais assassinos tendo tido sempre uma vida "cor-de-rosa".


"Acho que o mais difícil é dar a nossa vida por alguém!"

Tenho a sensação de que se perguntarmos a qualquer pai/mãe...respondem com facilidade= sim ;)

Beijinhos




SIlvio

Brother, concordo contigo.Não tenho nada a dizer que possa ir contra as tuas palavras ;)

kisses



vsuzano

A ocasião faz o ladrão. É parecido.Entendi.

Beijinhos




hidden_romeo

Ia com o FAST_TURBO ligado, é impossível dar por mim a olho nu ;)

Beijinhos

 
At 12:56 AM, Blogger DANTE said...

Também já perdi o contacto com a realidade , mas fizemos as pazes e ela lá me deu o nº de tel outra vez... :D

Jokas :)

 
At 5:23 AM, Blogger Alien David Sousa said...

DANTE

lol

Ainda bem! Não te quero perdido algures por aí a fazer não sei o quê, a não sei quem ;)

kisses

 
At 2:29 AM, Blogger Å®t Øf £övë said...

Alien,
Eu entendi bem o teu texto, e sim, acho que todos somos potenciais assassinos se colocados em determinadas situações. Temos que nos lembrar que só uma infima parte do nosso cerebro é que é conhecida. Mas há uma imensidão de capacidades cerebrais do ser humano por descobrir, e por saber como funciona.
Eu diria que nós somos aquilo que a sociedade faz de nós. É verdade que nascemos livres, mas à medida que as sociedades nos vão moldando vamos perdendo essa liberdade, e vamo-nos tornando o que somos por aquilo que vamos vivendo, e vamos vendo acontecer em nosso redor.
Bjo.

 
At 10:49 PM, Blogger Alien David Sousa said...

Å®t Øf £övë

" Temos que nos lembrar que só uma infima parte do nosso cerebro é que é conhecida. Mas há uma imensidão de capacidades cerebrais do ser humano por descobrir, e por saber como funciona."

Tens razão e de certa forma é um pouco assustador porque nunca sabemos quando uma " lampada" se vai apagar no nosso cérebro, ou outra acender que nos leve por caminhos um tanto negros.

Concordo com a segunda parte do teu comentário. Nós somos uma mistura de vivências, claro que concordo. No entanto,devido ao que mencionaste na primeira parte do teu comentário. Nós até podemos ser a melhor pessoa ao cima da terra devido à nossa vivência até determinada altura, MAS, por razão desconhecida do mecanismo do nosso cérebro podemo-nos transformar em tudo aquilo que sempre desprezqamos. :/

Beijinhos

 

Post a Comment

<< Home