Friday, November 01, 2013


















Fora de brincadeiras.
 
Ela colocou uma queixa- crime contra ele e, ele uma queixa por danos psicológicos por ter sido impedido de ver os filhos.
 
Falo de Barbara Guimarães e ManuelaMaria Carrilho.
 
Ela tem provas das marcas com que ficava das "tareias" que ele lhe dava, ele por sua vez afirma que ela é uma alcoólica. A ex-mulher do senhor vem em defesa de Barbara, dizendo que a apresentadora fez ao filósofo o que esta não conseguiu.
 
Parece uma novela, mas não o é, especialmente quando existem crianças no meio do furacão.
 
Meus queridos terrestres, não escrevo sobre este assunto sem ter por detrás um motivo bastante forte,isto não é a "Caras". A violência física perante as mulheres, geralmente aplicada pelos companheiros é um problema deveras complicado e que necessita de uma resolução urgentemente. Muitas destas mulheres não falam desses abusos em público por uma simples palavra: medo.
 
As que fazem queixa, coitadas. O companheiro passa uma noite na prisão e no dia seguinte, dá-lhe outra tareia, por esta ter ido ao encontro das autoridades. Este é o nosso sistema. Este é o padrão.
 
E muito raramente, ouvimos nas noticias que uma mulher mandou para o inferno o companheiro com uma arma de caça que ele possuía, porque chegou ao seu limite. A violência doméstica é um caso sério.
 
Mas a dura realidade é que a maioria dos casos são de mulheres abusadas física e psicologicamente em silêncio, por vezes na presença dos filhos, que se sentem impotentes,  sozinhas, sem rumo dar às suas vidas.
 
Não estará na hora de fazer algo por estas mulheres?
Não estará na hora de fazer algo por mulheres que não têm o poder de uma Barbara Guimarães?
 
São assuntos que parecem passar ao lado do nosso governo.
 
Fico com vontade de dar uma tareia nos nossos governantes!
 
Mas isto sou só eu
 

9 Comments:

At 4:39 PM, Blogger Diana said...

Muitas mulheres morrem por ano. Mas homens também.

 
At 10:18 PM, Blogger Alien David Sousa said...

DIANA

"Segundo dados do EIGE para a UE, "nove em cada dez vítimas" de violência entre parceiros íntimos (independentemente do vínculo legal e da coabitação) são mulheres e pelo menos uma em cada cinco delas será violentada durante a sua vida adulta."

É uma diferença esmagadora. E sublinho, durante a sua vida adulta!, viver neste inferno. Temos de mudar mentes.
E Diana, não morrem por ano, mas por dias.

 
At 6:08 AM, Blogger Tétisq said...

Concordo com tudo o que dizes acerca da violência doméstica.
Lamento a lavagem de roupa suja...

Tenho pena dos miúdos que um dia vão googlar os pais e sentir vergonha. Se fossem filhos de um casal pobre ou menos mediatico a segurança social já teria agido de forma a retirá-los de um lar instavel...

Bj*

 
At 11:29 AM, Blogger Portuguesinha said...

Estou para fazer um post inspirado no mesmo mediatismo deste caso. Há coisas que precisam de ser ditas e relembradas.

 
At 1:01 AM, Blogger Alien David Sousa said...

TÉTE

Tens razão quando dizes que se fossem de uma classe social já estavam nas mãos da segurança social. O que em certos casos não sei se é bom ou mau para os miudos, digo isto porque por vezes a violência estendesse a eles.



Portuguesinha

Conta com esta leitora.

 
At 3:40 PM, Blogger mãe em fanicos said...

Também me apetece muito bater nos nossos governantes...

 
At 12:54 AM, Blogger Alien David Sousa said...

Mãe, pega aí na vassoura e bora para a assembleia varrer aqueles tipos todos à porrada!

 
At 3:47 PM, Blogger Felina said...

Só não entendo como aquele meio de gente conseguia bater naquele cabedal da barbara, no lugar dela enfiava lhe o tacho pela cabeça.
Violência domestica infelizmente é transmitida no pacote das tradições faz parte do saberes e sabores passados às gerações seguintes até alguém questionar e dizer basta, mas dizer basta não chega é preciso as entidades ajudarem a proteger as vitimas, já algo começou a ser feito mas ainda há muito por fazer e deve começar por ser transmitido na infância em casa também, já eduquei as minhas crias nesse sentido, não permitir submissão de maneira nenhuma, nunca depender de macho nenhum para viver e muito menos deixar que as agridam seja física ou mentalmente, a minha porta está sempre aberta para as receber de novo e pronto.

 
At 10:26 PM, Blogger Alien David Sousa said...

GATA

É assim mesmo GATA! É de pequenino que temos de ter consciência do que é moralmente correcto e o que fazer para nos defendermos. Ainda bem que as/os nossos gatinhos já estão a par desta situação ;)

Festinhas

 

Post a Comment

<< Home